quarta-feira, 7 de junho de 2017

Dia Mundial do Meio Ambiente

Guardiões Ambientais em Festa no Parque Nacional de Brasília

O dia 5 de junho é o Dia Mundial do Meio Ambiente, instituído desde 1972, pela ONU, na Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo, Suécia.
A Escola Classe Morro do Sansão, de Sobradinho, e o Centro de Ensino Fundamental Cerâmicas Reunidas Dom Bosco, de Planaltina, ambas participantes do Curso de Guardiões Ambientais, foram algumas das escolas convidadas para comemorar esse dia tão importante no Parque Nacional de Brasília. Seus educadores, Cb Katilene e Cb Marcelo Alves, levaram suas turmas para vivenciar um dia de muita diversão e conhecimento.
Após a abertura do evento pelo coordenador do Núcleo de Educação Ambiental Giorgenes Martins de Souza e a chefe do Parque Nacional Juliana de Barro, cantou-se o Hino Nacional e, em seguida, todas as escolas participantes fizeram apresentações.
Giorgenes Martins de Souza, coordenador do Núcleo de Educação Ambiental
A Escola Classe Morro do Sansão apresentou a paródia “Salve o Lobo Guará”. O CEF Cerâmicas Reunidas cantou “Grãozinho de Ouro” da irmã Kelly Patrícia.
Apresentação da paródia “Salve o Lobo Guará”
Apresentação do CEF Cerâmicas Reunidas Dom Bosco
Após o lanche gostoso oferecido pela equipe do parque, nossos guardiões ambientais aventuraram no Slackline, equilibrando-se sobre uma fita elástica esticada entre dois pontos fixos.
A oficina “Musicar Reciclando” com o artista Junai (Luis Gonzaga Araújo e Costa Júnior), mostrou como podemos fazer instrumentos musicais com aquilo que iria para o lixo, ou seja, reutilizando materiais. Com criatividade, bom humor e muitas gargalhadas, estudantes e professores dançaram, tocaram instrumentos e até apresentaram uma banda inusitada. Os instrumentos musicais foram confeccionados com os mais diferentes materiais que iriam para o lixo, tornando-os únicos. A natureza agradece essas iniciativas e nós também por participar.
Instrumentos musicais confeccionados com materiais reutilizados
O mascote Labareda, do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo), do Ibama, e seu amigo verde Bizon, distribuíram alegria por onde passavam.

 
Em seguida, fomos em direção a exposição dos materiais do Grupo Ambientalista do Torto – GAT. Seus integrantes são voluntários que atuam em todo o Distrito Federal, com o objetivo da preservação da natureza, trabalhando, principalmente, no combate ao incêndio florestal. Os guardiões puderam entrar na viatura utilizada durante os incêndios e conhecer os equipamentos usados nessas situações, a exemplo dos drones. Eles manusearam vários materiais, conheceram a roupa adequada utilizada e sentiram o peso que os voluntários do GAT levam em trabalho contra os incêndios.

Complementando o que foi aprendido, seguimos para a palestra com o Danilo, brigadista voluntário do GAT, que explanou sobre Queimadas e Incêndios.
A galera do Brasília é o Bicho! também marcou presença nesse dia tão importante para o meio ambiente. Os biólogos e pesquisadores Fábio e Pedro envolveram os guardiões ambientais com os vídeos dos variados animais do parque e do Cerrado. Contaram a história do Xangô, uma onça preta que apareceu no entorno da capital federal e que está sendo monitorada. Mostraram o Sonho de Xangô com os caititus, um porco do mato extinto no Distrito Federal e Entorno. O baile das antas e o Lobo Guará, mascote do nosso programa. Quanta diversidade existe no Cerrado!
https://static.wixstatic.com/media/5b4386_94caa51b273b4186ba94dc5443cfe2c7~mv2.jpg_srz_601_126_85_22_0.50_1.20_0.00_jpg_srz
Após o almoço e limpeza do espaço utilizado, seguimos rumo a Trilha da Capivara. E para nossa surpresa, visualizamos o “Soldadinho”(Antilophia galeata), um pássaro endêmico do Cerrado, lindo e com um topete vermelho majestoso. Um grande presente para um dia super especial de contato com a natureza para todos nós, guardiões ambientais.
Com o céu azul e sol forte, refrescar na Piscina Pedreira foi uma excelente alternativa bastante esperada pelos estudantes. Mas antes, eles foram conhecer as nascentes que abastecem a piscina de água mineral.
E para coroar o nosso dia, uma cutia apareceu no parque bem pertinho da piscina. Gratidão ao Parque Nacional de Brasília pelo maravilhoso dia de conhecimento e diversão.


segunda-feira, 5 de junho de 2017

Saída de Campo do Curso de Guardiões Ambientais CEF 04 de Sobradinho

A Turma Guaraná no Cerrado
Os estudantes do Centro de Ensino Fundamental 04 de Sobradinho escolheram o nome Guaraná para representar a escola no Curso de Guardiões Ambientais. O Guaraná é o fruto do guaranazeiro, uma planta nativa da Amazônia.
E como parte do cronograma, a saída de campo para o Parque Nacional de Brasília era um dos momentos mais aguardados para essa turminha estimulante, assim como o seu representante, o guaraná. Nos dias 26 de maio e 02 de junho, as quatro turmas de 5º ano que participam do Curso de Guardiões Ambientais com a Cb Katilene, conheceram as belezas do parque que é de grande importância para Brasília.
O Parque Nacional de Brasília é conhecido popularmente como “Água Mineral”, devido as suas duas piscinas que são abastecidas com água de diversas nascentes.
Turmas A e B, no dia 26 de maio.
Turmas C e D, no dia 02 de junho.

No dia 26 de maio, nós tivemos o privilégio de poder ouvir o analista ambiental do ICMBio Henrique, que contou muitas curiosidades sobre o parque. Os estudantes super participativos, aproveitaram para fazer muitas perguntas e assim, ampliar seus conhecimentos.
Na maquete exposta, percebeu-se a grandiosidade do parque e sua importância para Brasília.
Infelizmente, a exposição “ Pelos Caminhos de Darwin” estava sendo retirada naquele exato momento e nossos futuros guardiões não puderam contemplar as belezas das fotos. No entanto, foi a chance de conhecer o fotógrafo da exposição João Paulo Barbosa.
Expectativas e receio marcavam a entrada no Labirinto. Ficar momentaneamente sem a visão deixavam alguns com medo. Mas a experiência da trilha sensorial compensava e perceberam que nossos temores, as vezes, não tem cabimento.
Outra experiência diferente foi no riacho considerado como a água mais gelada do parque. Fechar os olhos e em silêncio, sentir a água passar entre seus dedos, respirando de forma calma, sentindo o cheiro do mato e se conectando com a natureza.
Vivenciar aquilo que só viu em livros, é a melhor forma de aprender. O aprendizado é divertido, dinâmico e prazeroso. Sentir é a palavra que melhor descreve essa saída de campo.
A caminhada pelas “Duchas” e depois em direção a “Ilha da Meditação”, pequenas paradas para conhecer as Quaresmeiras, a Fruta do Lobo ou Lobeira, Pequizeiro, entre outras árvores do cerrado, e o melhor de tudo, poder sintonizar a Rádio Natureza.
À tarde, depois do almoço, na caminhada pela Trilha da Capivara, continuamos nossa exploração pelo Cerrado e suas curiosidades.

E a última parada não poderia deixar de ser a Piscina Pedreira ou “Piscina Velha”, como muitos a conhecem. Os macacos pregos marcaram presença, assim como as capivaras e a coruja buraqueira, que fez seu ninho próximo ao Centro de Visitantes.
Um dia realmente inesquecível na vida desses Futuros Guardiões Ambientais do Programa Lobo Guará. Gratidão a todos que possibilitaram esse momento.